Casa de Cultura Julieta de Serpa comemora 100 anos

Casa de Cultura Julieta de Serpa une arte e amor há um século

O palacete, onde hoje está situada a Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa, foi erguido em 1920. Neste ano, o local comemora 100 anos de existência com programação bastante animada.

A Casa de Cultura Julieta de Serpa é considerada uma das joias raras, em termos de arquitetura, no Rio de Janeiro. Quem passa pela Praia do Flamengo pode se deparar com a fachada do imóvel e notar o estilo neoclássico francês. Já quem experimenta entrar no casarão vai se surpreender mais ainda com o que encontra ali dentro.

Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa

O espaço cultural apresenta salões decorados em estilo Luís XVI e obras de arte do acervo de Julieta de Serpa. A casa ainda comporta dois restaurantes, o Blason e o Julieta; um chá no Salão D’ Or’, de estilo do império francês, com música ao piano; e área dedicada a shows em horário noturno, o J Club. Além disso, o palacete também recebe recepções e festas de casamento.

História do casarão

A construção do casarão, em 1920, é fruto de uma história de amor. Ele foi erguido por Demócrito Lartigau Seabra, filho de uma renomada família de comerciantes, que quis presentear sua mulher, Maria José, com a mais bela mansão do Rio de Janeiro.

Em 2001, a propriedade foi vendida a uma empresa que pretendia construir ali um edifício. No entanto, o imóvel foi tombado em 1997 e, consequentemente, sua demolição não foi autorizada. E em 2002, o educador Carlos Alberto Serpa de Oliveira adquiriu o palacete para instalar uma casa de cultura em homenagem à sua mãe, a dona Julieta de Serpa, uma senhora que amava a cultura e as artes e também se dedicava a elas. Em declaração ao jornal O Globo, Carlos Alberto afirmou:

“Minha família sempre foi ligada à cultura e às artes, e meus avós paternos e maternos foram colecionadores de antiguidades e artes plásticas. Minha mãe herdou as obras e continuou com esse gosto cultural. Alguns anos antes de sua morte, em 1998, fui convidado a visitar o Palacete Seabra. Ela foi junto, adorou e me incentivou a fazer um centro cultural, mas o preço era muito alto. Quando decidimos nos desfazer de parte do seu acervo herdado lembramos do palacete para realizar um leilão. Recebi uma boa proposta para comprá-lo e não resisti.”

Cultura, festas e gastronomia

O primeiro grande evento da Casa de Cultura Julieta de Serpa foi a realização de uma edição do Casa Cor, que auxiliou na restauração do imóvel. O espaço cultural foi inaugurado oficialmente em 23 de março de 2003, quando dona Julieta completaria 100 anos.

Carlos Alberto ressalta:

“Passamos a realizar exposições para crianças e adultos, eventos no carnaval, nas festas juninas, nos festejos da Independência e no Natal. Produzimos também peças teatrais, com cunho cultural e histórico do Brasil, além de falar de Napoleão Bonaparte, Luís XVI e Maria Antonieta, e realizamos projetos musicais emblemáticos.”

O filho de dona Julieta assina o musical “Nosso samba é campeão”, que está em cartaz na casa de cultura até o fim deste mês. Ele também está à frente do Centro Cultural Cesgranrio, no Rio Comprido.

Fonte: O Globo

*Foto: Divulgação / Ana Branco / Agência O Globo