Saiba mais sobre primeira escola de laticínios da América Latina

Primeira escola de laticínios da América Latina completa 85 anos

Primeira escola de laticínios da América Latina acaba de completar 85 anos e está localizada na cidade de Juiz de Fora (MG). Trata-se do Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ILCT).

Primeira escola de laticínios da América Latina

A história da primeira escola de laticínios da América Latina se une a da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), quando, em 1974, o Instituto foi incorporado à entidade. Até hoje ele atua na formação de profissionais técnicos em leite e derivados.

No decorrer de seus 85 anos, a escola de laticínios ficou conhecida como uma empresa inovadora. O local é responsável pelo desenvolvimento da indústria de laticínios do país e introduziu no mercado nacional tecnologias europeias para fabricação de queijos, manteiga, entre outros produtos lácteos. Atualmente, o ILCT conecta ensino, pesquisa e indústria, e é referência para mais de 60 países.

Inovação

Com olhos no futuro, os chefes da empresa querem inovar cada vez mais. Conforme afirma Nilda de Fátima Soares, presidente da EPAMIG, em entrevista à Revista Rural:

“O futuro aponta para as novas tecnologias, e é para lá que vamos caminhar. Nessa data em que comemoramos 85 anos do ILCT, eu quero parabenizar e agradecer o comprometimento e a dedicação de todos aqueles que fizeram e fazem essa história.Também quero dizer que o Instituto está caminhando a passos largos para uma nova modalidade de ensino, com auxílio de ferramentas de ensino à distância. Temos certeza que faremos um belo trabalho.”

Além disso, ela também destaca os altos índices de empregabilidade em companhias de laticínios dos profissionais formados no ILCT. Desde sua fundação, o Instituto já formou em torno de 2.300 técnicos com forte atuação no mercado de trabalho, tanto em indústrias, como em instituições de ensino e pesquisa. O local ainda mantém convênio com 300 empresas para concessão de estágios e bolsas de estudo, explica o chefe geral do ILCT, Sebastião Tavares de Rezende:

“São 85 anos de glória e muito reconhecimento. Formamos profissionais reconhecidos nacional e internacionalmente. Além disso, prestamos um valioso apoio ao pequeno produtor que atua na área de processamento de leite e derivados. Projetamos um futuro promissor para o ILCT, preparado para os avanços da indústria 4.0.”

EPAMIG ILCT

No mês de comemoração da escola de laticínios e em meio à pandemia de Covid-19, o Instituto vai disponibilizar gratuitamente conteúdos do setor laticinista em uma plataforma digital. O objetivo é ajudar alunos, profissionais da área, produtores e demais interessados. A página também reúne cartilhas técnicas, artigos científicos, vídeos gravados anteriormente pelos pesquisadores da EPAMIG ILCT, além de links de conteúdos selecionados e receitas para a produção de queijos.

A intenção da plataforma visa também facilitar o acesso a grande parte do conhecimento gerado pela EPAMIG ILCT nos últimos anos, e mediar o diálogo entre professores e pesquisadores. Segundo Junio de Paula, o coordenador do Programa de Pesquisa em Leite e Derivados da EPAMIG ILCT, o setor desperta o interesse de produtores e consumidores:

“É interessante pensar em uma forma de atender esse público e também nossos alunos sem que precisem sair de casa. Vejo a plataforma como um espaço para distribuição de conhecimento gratuito, atendendo, assim, um pouco da ansiedade das pessoas com o assunto queijo, uma vez que essas informações não são tão acessíveis.”

Como parte das comemorações da primeira escola de laticínios da América Latina, o ILCT lançou uma conta oficial no Instagram, com o intuito de mostrar ao público por meio de fotos a história do Instituto e contar novidades da empresa.

Fonte: Revista Rural

*Foto: Divulgação