Arte Plural Galeria: mostra “Deuses Ocultos” entra em cartaz

Arte Plural Galeria recebe a exposição do artista plástico cubano-pernambucano David Alfonso, com acesso gratuito

A partir desta quarta-feira (25), a Arte Plural Galeria vai abrigar a mostra do artista plástico cubano-pernambucano David Alfonso. Intitulada “Deuses Ocultos”, a mostra em cartaz conta com obras ora em preto e branco, ora pelo colorido de telas povoadas por multidões entremeadas em olhares recortados por individualidades. A galeria de arte está situada no Bairro do Recife, com visitação gratuita de segunda à sexta-feira, das das 9h às 18h.

Mostra da Arte Plural Galeria

A exposição na Arte Plural Galeria conta com curadoria de Olívia Mindêlo. Além disso, esta é a primeira mostra individual do cubano-pernambucano que paira por algum tempo pelas “Terras dos Altos Coqueiros”. Além de mesclar nacionalidades nas pinturas que evocam mulheres, animais, culturas e povos.

“Eu me apaixonei pelo Recife e pelo que a cidade exala. Há muitas coincidências entre o que vejo aqui e lá (em Cuba).”

Olhares enérgicos

As obras de David Alfonso remetem a uma cultura que mistura traços, cores e formas. E ainda passeia por pinturas envoltas em olhares enérgicos, que fazem as vezes de entrada do seu olhar artístico. Contudo, o artista revela que é por meio deles (dos olhos) que é gerado o incógnito do que vem a seguir em seus trabalhos.

“É por onde começo, pelos olhos. Porque eles precisam penetrar, falar, atrair.”

Ele diz ainda que com a mesma leveza de quem pinta, coloca para fora, e não necessariamente se preocupa em entender o que está sendo colocado ali (na tela).

“E essa é uma parte boa, a da interpretação que eu faço após concluir um quadro.”

Daltonismo

Por conta de seu daltonismo, o arista respeita suas intuições e sensibilidades, aliados ao desejo de fazer florescer o oculto dos deuses ou a realidade do ser humano. Para ele, “pintar é uma necessidade”, além de conectar a magia dos cachorros ou ainda o galopar dos cavalos. Estes levam a algum lugar em suas pinturas, despertando o desejo de (re) pensar o mundano do homem, da mulher, da lua e do sol, de Cuba e de Recife e do saudosismo revelado nas figuras latino-americanas de suas obras.

*Foto: Divulgação