Terceira dose contra Covid-19: São Luís é a primeira capital a aplicar

Terceira dose contra Covid-19 foi aplicada pela primeira em uma idosa de 84 anos na capital do Maranhão

Nesta semana, a prefeitura de São Luís (MA) anunciou a aplicação da terceira dose contra Covid-19. A dose de reforça passou a ser aplicada ontem (26) em toda a população a partir de 70 anos, que já tomou as duas doses.

Terceira dose contra Covid-19 em São Luís

O anúncio da cidade maranhense ocorreu um dia após o Ministério da Saúde informar a aplicação da terceira dose contra o coronavírus em todo o país a partir de 15 de setembro.

Porém, São Luís saiu na frente e quem recebeu a dose de reforço foi Dona Luiza, de 84 anos, residente da capital maranhense. O momento de alegria foi compartilhado pelo prefeito da cidade Eduardo Braide, em suas redes sociais.

“Começamos hoje a aplicação da dose reforço em nossas Instituições de Longa Permanência (ILPs), seguindo as orientações do Ministério da Saúde. A Dona Júlia, de 84 anos, foi a primeira brasileira a garantir a 3ª dose contra a Covid.”

Cidade pronta para a terceira dose

Além disso, em declaração ao G1 Maranhão, Braide já havia dito que São Luís estava pronta para a aplicação para a dose de reforço.

“Nós aguardávamos tão somente a orientação do Ministério da Saúde. Ainda nessa semana, nós vamos divulgar o calendário dos próximos públicos que vão receber essa dose.”

Quem receberá a dose de reforço

Entretanto, a cidade segue a recomendação do Ministério da Saúde. Então, neste primeiro momento receberão a terceira dose contra Covid-19 os idosos a partir de 70 anos. Mas desde que tenham completado o ciclo vacinal há pelo menos seis meses ou mais. O mesmo vale para os imunossuprimidos com ciclo vacinal completo há 28 dias ou mais.

Dados mais recentes

De acordo com dados mais recentes divulgados pela Prefeitura de São Luís, atualizados no dia 25, a cidade aplicou 1.093.096 doses em sua população. Desse total, 777.215 foram para primeiras doses e 315.882, segundas ou doses únicas.

*Foto: Reprodução/Twitter Eduardo Braide