Fazenda Velha em Rondonópolis se torna patrimônio histórico

Fazenda Velha foi casa de Marechal Rondon e decisão veio do prefeito da cidade

Na quita-feira (5), o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, assinou o decreto de tombamento como Patrimônio Histórico Cultural da cidade, a sede da Fazenda Velha. A propriedade foi residência do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, fundador de Rondonópolis e cujo nome do município é em sua homenagem.

Fazenda Velha – patrimônio histórico

Além disso, o processo legal de tombamento ocorreu por meio da secretaria Municipal de Cultura, que começou os estudos e levantamentos referentes à história, cultura e patrimônio. Tudo isso em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso. O documento final, que reúne cerca de 300 páginas de registros, documentos, laudos técnicos foi entregue ao prefeito José Carlos do Pátio oficializar o tombamento.

Preservação

Atualmente, o imóvel está deteriorado pelo tempo. sendo assim, haverá ações de recuperação, que garantirão a preservação das características originais da fazenda.

Caso político

Por outro lado, a prefeitura disse também que a preocupação com a preservação e tombamento da memória cultural/patrimonial acontece em meio à necessidade de intervenção do poder público no local. Isso porque a continuação da futura Avenida W11, passando sobre a ponte nova e se estendendo até a BR-364, passa cerca de 200 a 300 metros do prédio histórico. Portanto, se não houvesse uma providência, a grande movimentação de veículos nas proximidades, bem como a situação de vulnerabilidade que ficará exposta em razão desse fato. Tudo isso poderia comprometer a estrutura da casa, que até aqui, resistiu ao tempo.

Construção da fazenda velha

Segundo registros e relatos por pioneiros da cidade, a Fazenda Velha teria sido construída por volta de 1900. Ela foi a primeira edificação levantada dentro do limite territorial do município.

Conforme documentos históricos, a ocupação por parte do Marechal de 1918 a 1945 era frequente quando visitava a região. O estudo apontou que o imóvel apropria-se de um bem histórico de grande relevância para o município e por isso devia ser tombado. De acordo com informações da comissão, relatadas no estudo, o ato de tombamento traz a garantia de salvaguarda desse registro histórico de Rondonópolis. O prefeito ainda ressaltou:

“Eu acho muito importante a preservação dos nossos patrimônios históricos; e temos que investir mais na nossa cultura e fazer o resgate da memória da nossa história; e isso é preponderante para a cidade de Rondonópolis.”

Aniversário do Marechal Rondon

Além disso, Pedro Augusto de Araujo, secretário de Cultura, afirmou que momento histórico ocorre justamente no mesmo dia do aniversário do Marechal Rondon (5 de maio).

“Resgatar a memória cultural e patrimonial de Rondonópolis é muito importante, porque nós estamos trabalhando com a origem de Rondonópolis; primeira construção, ponto de parada do Marechal Rondon, enfim; onde tudo começou! Rondonópolis foi construída pelos ribeirinhos, índios bororos; depois vieram os baianos, os mineiros, os goianos, os gaúchos, os libaneses e os japoneses. E isso foi o ponto inicial, então o que o prefeito Zé do Pátio está fazendo, é dando início ao resgate da nossa memória cultural.”

Outros tombamentos

Contudo, o secretário ainda revelou que outros estudos de tombamento estão em andamento. Isso inclui a negociação com os ‘Correios do Brasil’ para adquirir a área do antigo prédio dos Correios ainda da época do Marechal. E também o tombamento ambiental do Parque Ecológico do Escondidinho, entre outros.

*Foto: Reprodução