Prescrição médica para imunizar crianças: Pernambuco dispensa medida

Prescrição médica para imunizar crianças não fará parte das medidas do Estado e seus municípios

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciou em suas redes sociais que o Estado não exigirá a apresentação de prescrição médica para imunizar crianças entre 5 e 11 anos contra a Covid-19. Além disso, a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e secretários de saúde dos municípios pernambucanos pactuaram a decisão na terça-feira (28), durante reunião.

Prescrição médica para imunizar crianças

A medida também teve o aval do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação e segue o posicionamento dos conselhos nacionais de Secretários de Saúde (Conass) e de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

De acordo com André Longo, secretário estadual de Saúde:

“É urgente vacinarmos nossas crianças e não podemos colocar nenhum empecilho para proteger esse público o mais rápido possível. Também precisamos deixar muito claro que a vacina para as crianças é segura, passou por todos os testes necessários, foi aprovada pelas principais agências regulatórias do mundo e, comprovadamente, salva vidas.”

Diário Oficial do Estado confirma não exigência da Prescrição médica para imunizar crianças

A decisão de  não exigir a prescrição médica para imunizar crianças será publicada no Diário Oficial do Estado nos próximos dias.

Vacinação

Em Pernambuco, o imunizante contra a doença será disponibilizada a todas as crianças na faixa etária indicada e em todos os postos de vacinação organizados no Sistema Único de Saúde (SUS) segundo o Governo do Estado.

Entretanto, para a criança ser vacinada é necessário que o pai, a mãe ou os responsáveis estejam acompanhando. E ainda será exigido um documento de identificação oficial da criança para registro do imunizante.

Pfizer

A vacina utilizada nas crianças será a da Pfizer/BioNTech, que já foi analisada e autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso no Brasil.

Dosagem e composição diferentes

Vale ressaltar que a dosagem e composição no público infantil será diferente da usada em maiores de 12 anos. A formulação pediátrica é de duas doses de 0,2 mL, com esquema de pelo menos 21 dias de intervalo entre as doses.

Sobre isso, Longo pontua:

“Essa segurança atestada nos dá a tranquilidade em dizer a todos os responsáveis que é fundamental vacinar as nossas crianças de forma rápida para que a gente tenha uma maior proteção de toda a sociedade.”

A estimativa é de que o público entre 5 e 11 anos seja de 1.182.444 pessoas em Pernambuco.

*Foto: Reprodução/SES-PE