Consultas de saúde de Uberlândia usam a videochamada como alternativa

Videochamada como alternativa é baseada em exemplo da rede privada, com até 120 consultas por dia

Médicos da Rede Municipal de Saúde de Uberlândia (MG) têm realizado atendimentos por videochamadas como alternativa durante a pandemia. O objetivo é atingir até 120 atendimentos por dia. No entanto, o serviço exige que o paciente tenha computador de mesa ou smartphone com acesso à internet e que também tenha o aplicativo Zoom baixado no aparelho.

Videochamada como alternativa na pandemia

A videochamada como alternativa de atendimento ao paciente foi criada desde o começo da pandemia de Covid-19. De acordo com números da cidade do Triângulo Mineiro, foram realizados mais de 10 mil atendimentos até o momento. Todavia, era uma consulta via aplicativo de mensagem. Sendo assim, o recurso limitava a conversa entre médico e paciente.

Redução de atendimentos presenciais

O objetivo da videochamada é reduzir os atendimentos presenciais a fim de evitar o risco de contaminação de pacientes e profissionais da saúde pela doença.

Zap da Prefeitura

Batizado de ‘Zap da Prefeitura’, o novo formato de atendimento é por meio do número (34) 99974-0616. Ele é usado para o agendamento da consulta. Em seguida, o paciente envia uma mensagem e é disponibilizada a ele a opção ‘Médico Virtual’. Além disso, é preciso passar o CPF para que a pessoa seja identificada. A partir daí é realizado o agendamento conforme a disponibilidade da rede. Por fim, o paciente receberá uma confirmação e o link com a data acertada para que ele entre em videochamada com o médico.

Clínica médica

No início, o serviço era voltado à clínica médica, com casos menos graves, que normalmente buscariam o atendimento ambulatorial. O trabalho conta com 12 médicos nesta especialidade, que realizam até 10 atendimentos por dia, segunda a sexta-feira. Sobre isso, coordenadora da rede de urgência e emergência da Secretaria Municipal de Saúde, Soraya Guimarães, afirma:

“A teleconsulta é como se fosse presencial. Inclusive, se precisar de medicação, é passado ao paciente. Há mecanismos para que ele possa procurar a farmácia do município para retirada de medicamento, por exemplo.”

Ela reforça que a pessoa pode até sair da videochamada com um agendamento para avaliação presencial, na atenção primária ou em unidades de pronto atendimento, se o médico constatar tal necessidade.

Implementação da Videochamada como alternativa

Entretanto, Soraya diz que o trabalho de videochamada com alternativa de atendimento está em fase de implementação. Porém, ela diz que não descartam a possibilidade de que o serviço se torne permanente quando a pandemia acabar. Isso inclui outras especialidades também. Este tipo de iniciativa foi adaptada para a rede municipal vindo do setor privado, que já realizava consultas remotas por vídeo.

*Foto: Divulgação