Livraria Cultura: editora Globo pede falência de rede literária

Editora Globo alega que rede de livrarias possui mais dívidas não pagas, gerando um novo processo judicial

A Editora Globo, uma das principais do país, foi à Justiça no mês de setembro para fazer um novo pedido de falência da Livraria Cultura. No paralelo, a varejista de livros está em processo de recuperação judicial.

Pedido da Editora Globo

No processo, a editora alega que a Livraria Cultura deve um total de 544.519,25. Tais valores foram contraídos durante o período de processo judicial e independentes do negociado no acordo. Em nota, Mauro Palermo, diretor da Globo Livros, afirmou:

“A recuperação judicial é um processo que oferece diversas vantagens para a empresa poder se recuperar. Ao mesmo tempo, o processo também prevê obrigações. Uma delas é pagar as dívidas pós-concursais em dia.”

Ele ainda complementou no mesmo comunicado:

“Para nosso desgosto —já que estávamos apoiando a empresa fornecendo nossos livros no período pós-recuperação judicial— isso acabou não acontecendo.”

Posicionamento de outras editoras

Em contrapartida, outras editoras também estão reclamando do não cumprimento de prazos da varejista de livros.

Além disso, no mês passado, um grupo de credores rejeitou o novo plano de recuperação judicial da empresa. Portanto, o fato é considerado um aditivo adaptado aos imprevistos que acometeram o mercado durante a pandemia.

Comprovação do plano original

Sendo assim, em relação a esta rejeição, o juiz Marcelo Sacramone decidiu que a Livraria Cultura teria cinco dias para comprovar o cumprimento do plano original. Vale lembrar que Sacramone também será o responsável por julgar o novo processo da editora Globo. Na ocasião, se a rede não comprovasse tal planejamento, seria decretada sua falência. Diante disso, a varejista de livros recorreu à segunda instância e ganhou mais prazo.

Ao ser contatada pela Folha de S. Paulo, os representantes da livraria não responderam. Já ao site PublishNews, o presidente da Cultura, Sergio Herz, afirmou que recorreria caso o juiz desse ganho de causa à editora Globo.

*Foto: Divulgação