Donos da padaria Nova Vitória Régia inauguram hortifrúti em Santo André

Donos da Nova Vitória Régia apostam em hortifrúti que custou R$ 6 milhões e que foi inaugurado hoje (17), na Avenida Perimetral

Em razão da pandemia de Covid-19, novos negócios surgiram em todo o país e muitos também estenderam suas atividades. É o caso dos donos da tradicional padaria Nova Vitória Régia, em Santo André, que inaugurou hoje um hortifrúti. Antes da pandemia, a ideia era abrir outra unidade da padaria no bairro Casa Branca, na mesma cidade. Porém, os planos mudaram, explica César Queiroz, um dos sete filhos de Dionísio Queiroz, que iniciou a empreitada familiar, e é sócio dos negócios:

“Observamos que, com a pandemia e muita gente fazendo home office, diminuiu bastante o movimento na padaria, até por não se poder sentar e fazer refeição no local. Então, seria mais interessante investir em estabelecimento especializado em produtos de qualidade para que essas refeições fossem preparadas em casa, já que o estilo de vida das pessoas mudou.”

Investimento da Nova Vitória Régia para abrir o hortifrúti

No entanto, para viabilizar a construção do hortfrúti da Nova Vitória Régia foi preciso investir R$ 6 milhões, explica César:

“Esta é uma área que precisava de um negócio desse tipo, não há nada semelhante por aqui. Por isso resolvemos apostar alto.”

A loja situada à Avenida Perimetral conta com 40 funcionários e ainda está em aberto oito vagas para os cargos de atendente e caixa. Isso prova que a economia local já está voltando a girar. Os interessados podem deixar currículo na própria unidade.

Já em relação aos produtos que serão comercializados, o sócio comenta:

“Ao escolher os produtos para vender aqui, pensamos em atender diferentes públicos, desde o A até o C. Temos um mix bem diversificado de alimentos, bebidas, itens de higiene, produtos de limpeza e hortifrutigranjeiros.”

Prova disso é que o valor dos vinhos vai desde R$ 14,90 até R$ 900.

Comida no local

Além disso, César, de 41 anos, filho mais velho de Seu Dionísio, 62, revela que ele e o pai ainda não declinaram da ideia de oferecer também a possibilidade de comer no local.

Porém, eles aguardarão um cenário melhor em relação à pandemia para colocar a ideia em prática:

“Queremos abrir um restaurante no andar de cima do hortifrúti. Temos banheiros aqui, pois pensamos, inicialmente, na padaria. E temos espaço.”

Todavia, seria preciso investir mais R$ 1 milhão para operacionalizar o restaurante. Ele afirma que deve planejar melhor já a partir do começo de 2021.

*Foto: Divulgação