Ivermectina para tratar o coronavírus é eficaz?

Estudo australiano aponta que o medicamento ivermectina pode matar o novo coronavírus em 48 horas

Por conta do avanço do novo coronavírus, cada vez mais estudos de possíveis remédios no combate da doença tem surgido nas últimas semanas. É o caso da ivermectina. Mas você sabe para que serve este medicamento?

Ivermectina para tratar o coronavírus

A ivermectina é um remédio utilizado contra o aparecimento de piolhos. Portanto, seu uso é contra parasitas e é justamente por este fator que ele tem sido ligado ao combate da Covid-19.

Um estudo realizado na Austrália por pesquisadores da Universidade de Melbourne e do Hospital Royal Melbourne in vitro demonstrou que o remédio é capaz de matar o novo coronavírus em apenas 48 horas.

Além da ivermectina, outros medicamentos vêm sendo testados no combate ao novo coronavírus por outras instituições de todo o mundo. É o caso da cloroquina e de outras drogas utilizadas no tratamento da Aids. Sobre todos esses medicamentos, o médico infectologista da Fiocruz, Fernando Bozza diz que “nos casos como este, de uma nova epidemia, é muito difícil criarmos uma droga inteiramente nova”. Ele ainda ressalta que:

“Uma das estratégias que usamos no mundo todo é tentar reposicionar alguma outra droga já conhecida, ou seja, testar sua eficácia na nova doença.”

Uso tradicional do medicamento

Tradicionalmente, no meio da saúde, a ivermectina é utilizada como um remédio contra parasitas, como piolhos. Porém, ela já foi testada contra doenças, como dengue, zika e H1N1.

Segundo a principal autora do estudo, Kyle Wagstaff:

“Nós descobrimos que uma única dose consegue, essencialmente, remover todo o RNA viral (da covid-19) em 48 horas. Em 24 horas já há uma redução significativa.”

Entretanto, a especialista advertiu que o estudo foi realizado in vitro, com células. Com isso, testes em seres humanos ainda se tornam necessários, completa:

“A ivermectina é um remédio muito usado e considerado seguro”, disse. “Mas precisamos descobrir agora que dosagem seria mais eficaz em humanos. Este é o nosso próximo passo.”

Por fim, Kyle diz que na pandemia do novo coronavírus, a utilização de um remédio já conhecido é o modo mais rápido de se chegar a um tratamento de fato eficaz:

“Com não existe nenhum tratamento aprovado, se temos um composto que já está disponível em todo o mundo e se revela eficaz, isso pode ajudar as pessoas. Sendo realista, vai demorar ainda um tempo até conseguirmos uma vacina.”

Fonte: Correio Braziliense

*Foto: Divulgação