Laboratório itinerante em Piracicaba: prefeito trouxe iniciativa do Butantan

Laboratório itinerante em Piracicaba servirá para diagnósticos de Covid-19, que hoje possui aproximadamente 67.560 casos de infectados na cidade, e o número de óbitos se manteve em 1.358 até ontem (14)

A partir de uma iniciativa desenvolvida pelo Instituto Butantan, o prefeito de Piracicaba, Luciano Almeida (DEM), decidiu trazer para a cidade do interior paulista o projeto de laboratório itinerante batizado de Lab Móvel. Almeida entrou em contato com o Butantan na semana passada e manifestou interesse em aplicar a iniciativa em Piracicaba.

Laboratório itinerante em Piracicaba

O laboratório itinerante em Piracicaba tem o objetivo de reduzir o intervalo para entrega dos resultados dos testes para Covid-19. E também pretende realizar o sequenciamento das variantes do vírus que circulam na região.

Na segunda-feira (13), de acordo com a administração municipal, um grupo de representantes do projeto esteve na prefeitura para uma reunião com o secretário de Saúde, Filemon Silvano, e com o subsecretário, Augusto Muzilli Jr. O encontro serviu para discutir a logística necessária para recebimento do projeto, que ocorrerá ainda neste mês de setembro.

Além disso, a prefeitura disse que o laboratório itinerante em Piracicaba deverá ainda receber material para análise de outras cinco cidades da RMP (Região Metropolitana de Piracicaba).

Sem óbitos

Contudo, por mais um dia seguido, a Secretaria da Saúde de Piracicaba não registrou mortes por Covid-19. Ainda no anúncio de ontem, a pasta confirmou mais 44 novos casos da doença. E o total de casos passou para 67.566 infectados. Porém, o número de óbitos pela doença se manteve em 1.358.

Casos suspeitos

Em relação aos casos suspeitos, a cidade conta com 874, mas com 105.205 casos descartados e outros 65.362 recuperados. E ainda 846 pessoas em tratamento contra a doença. Dos 44 novos casos confirmados, 24 são homens de três a 83 anos e 20 são mulheres de dois a 76 anos.

Taxa de ocupação

Por fim, a taxa de ocupação de UTI-SUS (Unidade de Terapia Intensiva do Serviço Único de Saúde) ficou em 27% na terça. Enquanto isso, a enfermaria ficou em 19%. No setor privado os percentuais foram de 22% para UTI e 6% para enfermaria.

*Foto: Reprodução/Claudinho Coradini/JP