Prêmio Camões 2020 homenageia acadêmico português

Grande vencedor do Prêmio Camões 2020 foi o professor português Vítor Aguiar e Silva

O escritor português Vítor Aguiar e Silva foi o vencedor deste ano do prêmio Camões, considerada a mais importante distinção pelo conjunto da obra da literatura em língua portuguesa.

Prêmio Camões 2020

O ganhador deste ano possui uma carreira acadêmica voltada ás universidades do Minho e de Coimbra. Nesta última ele obteve o doutorado em literatura portuguesa. Além disso, Aguiar e Silva se especializou em obras de teoria literária e no estudo de autores clássicos, principalmente no autor de “Os Lusíadas”, que dá nome ao prêmio.

Instituto Camões

Todavia, o acadêmico português de 81 anos de idade foi um dos fundadores do Instituto Camões. O espaço é ligado à promoção da língua portuguesa no exterior. Em solo brasileiro, a editora Leya editou seu último livro, “Dicionário de Luís de Camões”.

Júri

De acordo com a imprensa de Portugal, o júri do Prêmio Camões 2020 reconheceu “a importância transversal da sua obra ensaística e o seu papel ativo relativamente às questões da política da língua portuguesa e ao cânone das literaturas de língua portuguesa”.

Além disso, Aguiar e Silva é uma voz ativa contra o acordo ortográfico de 2009, que procurou aproximar a escrita do português em países lusófonos.

Qual o propósito do prêmio?

O Prêmio Camões 2020, assim como nas outras edições tem o propósito de celebrar de modo igualitário os escritores que utilizam o idioma. Portanto, a premiação tem uma tradição de revezar autores portugueses, brasileiros e de países da África lusófona.

Na edição do ano passado, o grande vencedor foi o escritor, cantor e compositor Chico Buarque. À época, ele aceitou a distinção por vídeo, já que o presidente Jair Bolsonaro se recusou a assinar seu diploma, que para o intérprete de “Cotidiano” foi como ganhar “um segundo prêmio Camões”.

Outros ganhadores brasileiros

Em 32 anos de história do prêmio, outros autores brasileiros também foram contemplados. É o caso de Raduam Nassar, ganhador da edição de 2016. Outros escritores foram: Lygia Fagundes Telles Ferreira Gullar, Rubem Fonseca e Dalton Trevisan.

Além dos brasileiros, outros vencedores foram o angolano Pepetela, o moçambicano Mia Couto e os portugueses José Saramago e António Lobo Antunes. Todavia, o último conterrâneo de Aguiar e Silva a conquistar o prêmio foi o autor Manuel Alegre, em 2017.

História do prêmio Camões

Criado em 1988, pelos governos do Brasil e de Portugal, o prêmio concede ao vencedor 100 mil euros divididos entre os dois países.

Nesta edição, o júri foi formado pelos brasileiros Antonio Cícero e Antonio Carlos Hohlfeldt, os portugueses Clara Rowland e Carlos Mendes de Sousa e, representando a África lusófona, Tony Tcheka e Nataniel Ngomane.

*Foto: Divulgação