Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas trata tumores no fígado, rins e pulmões

Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas chega ao Hospital São Francisco em Goiânia (GO) após passar por testes no Hospital das Clínicas, em São Paulo

Agora o Hospital São Francisco em Goiânia (GO) pode contar com uma técnica que possibilita a rápida recuperação de pacientes que sofrem com tumores no fígado, rins e pulmões. Isso porque o sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas (MTA) Solero assegura a mesma eficácia de cura que as cirurgias “abertas”. Mas neste caso, o procedimento é menos invasivo.

Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas

O sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas pertence à empresa americana Angiodynamics. Ele foi realizado pela primeira vez em Goiás, recentemente, pelos médicos radiologistas e intervencionistas Marcos Menezes, do Hospital Sírio Libanês de São Paulo; e Raja Venkata, do Instituto de Angiologia Raja Venkata em Goiânia.

Um paciente de 66 anos de idade, vítima de um hepatocarcinoma (tumor primário de fígado) foi o primeiro a ser tratado com a nova tecnologia, que já está presente no Brasil há dois anos, mas é novidade em Goiânia.

Pouca resposta à quimioterapia

O médico Marcos Menezes explica que, por se tratar de um tipo de tumor que tem pouca resposta à quimioterapia, “neste caso, foi preciso fazer realmente local. O paciente já havia feito uma quimioembolização, para redução do tumor, depois completamos o tratamento com a ablação por micro-ondas”. O especialista é coordenador do Centro de Intervenção Guiada por Imagem do Hospital Sírio Libanês de São Paulo. E também responsável pela introdução da técnica terapêutica no Brasil, ao ser o primeiro médico brasileiro a realizar o procedimento no país há dois anos.

Para a cirurgia em Goiânia, Menezes veio especialmente para a realização, que contou ainda com o acompanhamento do médico Raja Venkata.

O procedimento que ocorreu no fim de outubro, e tratava-se de um tumor no fígado, a taxa de cura da cirurgia e do tratamento por ablação possui praticamente a mesma eficácia.

“Hoje os resultados das terapias ablativas, sejam por micro-ondas ou por radiofrequência, têm praticamente a mesma eficácia do que uma cirurgia aberta, mas com a grande vantagem de ser muito menos agressivo ao paciente, e, portanto, de fácil recuperação e preserva o fígado.”

Tumores no fígado

Ainda sobre tumores no fígado, Menezes destaca que a técnica de ablação por micro-ondas assegura maior integridade ao órgão, uma que ele é o único do corpo humano capaz de se regenerar.

“Às vezes você tem um nódulo no meio do fígado e por meio da cirurgia convencional, para se tratar esse tumor, o cirurgião é obrigado a retirar metade do órgão. Mas com o método de ablação você simplesmente insere uma agulha guiada e trata somente o tumor, e o paciente continua com o fígado dele.”

Recuperação mais rápida

Ele é considerado um método menos invasivo, já que é feito por punção com uma agulha guiada por tomografia e/ou ultrassom, que queima e cauteriza o tumor em até seis minutos.

Além disso, a técnica pode tratar nódulos de cinco centímetros, substituindo assim uma cirurgia aberta, e o paciente recebe anestesia geral ou sedação, depende do caso. A internação é de apenas 24 horas.

O médico do Sírio Libanês explica que neste caso, o dispositivo médico é ligado e esquenta a lesão tumoral, destruída em seguida por conta do calor, onde a temperatura pode chegar entre 60 e 80 graus. O funcionamento do procedimento é similar a de um aparelho de micro-ondas que se tem na cozinha. Portanto, ele “movimenta as moléculas de água de forma extremamente rápida, só que você faz isso de uma maneira bem localizada”.

Por ser menos invasiva, além de curativa, a nova tecnologia é bastante vantajosa em comparação à de radiofrequência, já utilizada no Brasil há mais tempo.

Menezes conclui:

“Com essa nova tecnologia você consegue fazer ablações maiores e mais rapidamente. Para se ter uma ideia, com a técnica da ablação por radiofrequência o procedimento levava em torno de uma hora, já a ablação por micro-ondas esse tempo de procedimento pode cair para 4 ou 5 minutos.

Caso do paciente em Goiânia

Por fim, o paciente em Goiânia que passou pelo novo procedimento é assistido pelo médico Raja Venkata. E ele destaca que com a chegada do Sistema de Ablação de Tecido por Micro-ondas (MTA) Solero, os terão uma moderna e eficiente ferramenta terapêutica contra o câncer.

“Em São Paulo o procedimento já é bem difundido. Agora, com a chegada dessa nova tecnologia em Goiás, será possível atender os pacientes daqui para tratamento de tumores em órgãos como pulmão, rins e fígado.”

*Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal