Auxílio Municipal Emergencial: Recife lança projeto para ajudar 120 mil pessoas

Auxílio Municipal Emergencial será pago entre os meses de abril e maio

Nesta quinta-feira (18), Recife anunciou o lançamento de um projeto para pagar o Auxílio Municipal Emergencial (AME). Sendo assim, 120 mil pessoas em situação de pobreza ou extrema pobreza cadastradas no CadÚnico serão beneficiadas. Agora, a medida política será encaminhada para votação na Câmara dos Vereadores.

Auxílio Municipal Emergencial

O projeto Auxílio Municipal Emergencial prevê o pagamento do benefício em duas parcelas nos próximos meses de abril e maio. No entanto, os valores serão distintos: de R$ 150 e R$ 50, respectivamente.

De acordo com a Prefeitura do Recife (PCR), o AME terá dois grupos:

Grupo 1, com 17.178 famílias na fila do Bolsa Família com registro no CadÚnico e que recebem até R$ 178 de renda per capita, que receberá as duas parcelas de R$ 150;
Grupo 02, com 12.451 famílias já beneficiadas pelo programa federal e com crianças de 0 a três anos incompletos, que receberá as duas parcelas de R$ 50.

Declaração do prefeito sobre o Auxílio Municipal Emergencial

Durante a apresentação do AME, o prefeito João Campos afirmou que o orçamento da Prefeitura do Recife é 560 vezes menor do que o do Governo Federal. Mas apesar dessa diferença, João lembrou que cada ente federativo pode dar sua contribuição.

“É preciso priorizar. Quando pegamos o recorte do CadÚnico, do Bolsa Família, que hoje é um programa muito bem consolidado, existem mais de 17 mil famílias na fila de espera. Estão há mais de três meses sem receber transferência de renda.”

Investimento da prefeitura

Além disso, a prefeitura investirá um total de R$ 6,4 milhões no projeto, que serão injetados na economia do Recife. Sobre isso, João Campos completou:

“A gente pode fazer com que isso seja um estímulo na economia da cidade. Nos comércios locais, na padaria, no mercadinho, que possa circular esse recurso para ajudar na preservação do emprego e da renda, principalmente na periferia.”

Por fim, Campos falou que espera uma “celeridade do Parlamento municipal para que consigamos pagar”.

Cuidado na pandemia

Já Isabella de Roldão, vice-prefeita do Recife, reforçou que o tempo agora é de cuidado.

“Estamos passando por um momento muito difícil. O que temos hoje é uma necessidade de cuidado extremo. ‘AME’ vem do ato amar mesmo. É uma decisão de amor e de cuidado.”

Ana Rita Suassuna, secretária de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos do Recife, disse ainda que a medida é uma forma de complementar a renda dessas pessoas.

“A Prefeitura garante a proteção social às pessoas mais vulneráveis da cidade. Sabemos a importância de chegar junto dessas pessoas, que precisam de atenção especial do Poder Público.”

*Foto: Reprodução