Blocos de carnaval da Barra e do Recreio debatem com governo do RJ

Ambos os blocos de carnaval se reuniram na intenção de fazer reivindicações ao governo do estado do Rio de Janeiro

Na última quarta-feira (15), representantes da liga SamBare, composto por 14 blocos da Barra, Recreio, Vargem Grande, Vargem Pequena, Guaratiba, Santa Cruz e Sepetiba, e de outros grupos da Barra e do Recreio, se reuniram no Palácio da Guanabara, com Ruan Lira, subsecretário de Grandes Eventos do Estado do Rio de Janeiro para fazer reivindicações para o carnaval de 2021. Sobre isso, a presidente da SamBare, Valéria Wright, declarou ao jornal O Globo:

“O estado nunca recebeu os blocos da Zona Oeste, foi um passo muito importante, estamos confiantes.”

Carnaval 2021 – reivindicações dos blocos

Entre as solicitações dos blocos de carnaval da liga SamBare, está a revisão do Decreto 44.617, de 2014, que criou uma série de exigências para autorizar os desfiles dos blocos, que, de acordo com os organizadores de vários grupos, acabavam por inviabilizá-los. Valéria explica:

“Este ano, a Riotur e o Ministério Público intervieram e criaram um grupo de trabalho com as ligas SamBare, Sebastiana e Zé Pereira para representar os 400 blocos do Rio e estudar como viabilizar os desfiles. De acordo com o decreto, cada um dos blocos é tratado pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros como se fosse um evento, mas somos uma manifestação cultural que não cobra ingressos. Ou seja, não temos dinheiro e não podemos arcar com criação de postos saúde, contratação de maqueiros e outras determinações do decreto.”

O quesito que aborda a fiscalização de ambulantes também foi mencionada por ela:

“Muitos ambulantes são informais e acabam trazendo problemas para os blocos. A atividade precisa ser fiscalizada.”

Fechamento de patrocínios

Outro motivo dito pela presidente, que dificulta a viabilização do carnaval para estes blocos diz respeito a conseguir fechar patrocínios:

“Existe uma crise econômica, e, além disso, não podemos fechar com qualquer empresa que bate à nossa porta para não haver conflito com as que têm contrato com a prefeitura. Pedimos ajuda, mas, em relação a esse tema, fomos orientados a procurar a prefeitura.”

Contato da Secretaria de Grandes Eventos do Estado do Rio de Janeiro

Por fim, Valéria afirma que a liga SamBare foi orientada a esperar um contato da Secretaria de Grandes Eventos do Estado do Rio de Janeiro, para que esta marque uma nova reunião com o objetivo de apresentar um projeto para o carnaval de 2021, que  possa contemplar tais reivindicações.

Em contrapartida, a Subsecretaria de Grandes Eventos do Estado do Rio de Janeiro, vinculada à Casa Civil, afirma que pretende auxiliar os blocos dessas regiões do Rio de Janeiro e disse ainda estar abertas a negociações.

Fonte: O Globo

*Foto: Divulgação / Fábio Rossi / Agência O Globo