Câmara de São Carlos: caso sobre novo titular da Saúde

Câmara de São Carlos se divide em dar apoio ou não à Denise Mello Martins

Após quase um mês à frente da pasta de Saúde, Denise Mello Martins é instada a resolver o “caos” na na pasta pública do município. Sendo assim, a parlamentar pede um “voto de confiança”.

Câmara de São Carlos

Em sessão de ordem política da Câmara Municipal da última terça-feira (14), vereadores se dividiram. O motivo é: apoiar ou não a gestão de Denise Mello Martins à frente da Secretaria de Saúde. Denise está ocupando o posto há 25 dias, após vacância de 70 dias.

Entretanto, em comum sobraram cobranças associadas à demora no atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento. Isso porque há falta de profissionais, fila nas cirurgias eletivas e cobranças por convênios.

De acordo com Bruno Zancheta (PL), há boa vontade na secretária de Saúde. Mas ele pediu liberdade e independência para que ela possa exercer sua função, comentou na tribuna.

“O que eu pude perceber da Denise, além de muita competência, é muita vontade. Precisamos ver se ela vai ter suporte para trabalhar, se vai ter tempo para trabalhar e se vão deixar. Vai ter ingerência? Alguma pessoa vai intervir na secretaria dela, assim como já vimos em alguns casos? Vamos ver se ela terá liberdade. Espero que sim.”

Reunião com gestora

Por outro lado, o parlamentar pediu à Câmara para fazer uma reunião com a gestora para discutir meios de atender a demanda por cirurgias eletivas e reduzir a fila de pacientes. Esta cresceu mais com a paralisação por conta da pandemia de Covid-19.

Já a vereadora Cidinha do Oncológico (Progressistas) pediu maior atenção da Saúde aos pacientes em pré-operatório. Ela afirmou que munícipes que estão prestes a se submeterem a procedimentos cirúrgicos estão ficando sem orientações médicas. No entanto, a parlamentar pediu “paciência” para a população.

“Acho que pelo tempo que ficamos sem secretário de Saúde não vamos conseguir, de um dia para o outro, mudar. Precisamos dar um voto de confiança para ela. Temos que a apoiar e defender para que tenha condição. O que ela veio fazendo até aqui é apagar fogo. É muita coisa para colocar em ordem.”

Visão diferente

Em contrapartida, o vereador Djalma Nery (PSOL) possui opinião contrária. Portanto, ele cobrou resultados da gestora e afirmou que não viu ainda trabalho no sentudo de organizar a pasta de saúde. Além disso, o psolista citou caso de paciente que teve curativo feito com fita crepe por falta de esparadrapo em uma unidade de saúde de São Carlos.

“Infelizmente a gente ainda não viu uma melhora significativa, uma organização, algo que dê uma luz no fim do túnel de que vamos organizar essa crise, esse caos da saúde pública de São Carlos.”

Por fim, Nery disse enxergar com preocupação o atual cenário da saúde em meio à escalada de casos, internações e óbitos por Covid na cidade. O vereador cobrou a resolução da questão da oferta de leitos hospitalares e a melhoria da relação da gestão municipal com a Santa Casa e Hospital Universitário, a qual classificou como “ruim”.

*Foto: Reprodução/ Rubens Chiri