ONG gaúcha faz encontro que ensina adultos a andarem de bicicleta

Encontro promovido ontem (24), contou com a participação de cerca de 50 pessoas, realizada pela ONG próximo ao Ginásio Tesourinha, com o objetivo de ensinarem adultos a andar de bicicleta

Quem decidiu curtir o domingo ensolarado de ontem (24), não se arrependeu. E foi o dia perfeito para que a ONG Bike Anjo promovesse um encontro no corredor de ônibus fechado da Avenida Erico Verissimo, em Porto Alegre, para que adultos que não sabiam andar de bicicleta, pudessem aprender esta prática tão saudável e divertida. Cerca de 50 pessoas compareceram ao evento, que é realizado todo último domingo do mês, na altura do Ginásio Tesourinha.  

O sonho de andar de bicicleta

Para Pietra Nunez, de 24 anos, ela jamais pensou que fosse possível conseguir andar de bicicleta logo na primeira aula. Ela ressalta que tinha pedalado pela última vez quando ainda era criança, com o uso de rodinhas. A atendente de loja também confessou que mesmo tendo vontade de voltar a andar de bike já adulta, especialmente para passear com os amigos por aí, ela não possuía o equilíbrio necessário. Porém, o empecilho foi mais rápido do que poderia pensar:

“Foi cansativo, mas ao mesmo tempo foi muito fácil. Sempre quis andar, mas não tinha ninguém que tivesse paciência para me ajudar. Precisa encontrar o meu equilíbrio, e agora é só praticar.”

Já para a psicóloga de Dois Irmãos, no Vale do Sinos, Bárbara Rodrigues, de 34 anos, as expectativas também foram ultrapassadas ao conseguir andar de bicicleta pela primeira vez. Agora, ela não descarta entrar para a causa e auxiliar outras pessoas com a mesma dificuldade:

“Quando era criança, até tinha uma bike, mas que servia mais para enfeite. Não sei por que demorei tanto para ir na aula. Faz mais ou menos 20 anos que digo que tenho vontade de aprender a andar. Até estava comentando com uma amiga que também é psicóloga que a gente divulga tanto o nosso trabalho para que os outros percam o medo, e a gente também tem.”

Dobro de participantes e sucesso do evento

A maior parte das pessoas que participaram do evento da ONG  ganhou confiança ao conseguir se equilibrar em cima de uma bicicleta e sair andando pelo corredor de ônibus fechado. No entanto, o sucesso não se restringiu só a isso. O número de participantes praticamente dobrou em comparação às últimas edições promovidas pela Escolinha do Bike Anjo (EBA). Em parceria com a Tembici, companhia responsável pelas operações do BikePOA, o projeto ganhou visibilidade, pois os alunos da iniciativa gaúcha usam as bicicletas laranja do sistema de compartilhamento de modo gratuito.

Encerramento do passeio de bicicleta

A oficina de bike de domingo terminou a temporada de atividades de 2019 da organização, que foi criada por meio da fusão de duas ONGs: a paulista Bike Anjo e a gaúcha Bici Anjo. Em março de 2020, as aulas devem ser retomadas. Até lá, o recesso servirá para a entidade capacitar voluntários e elaborar o calendário de eventos do ano que vem, que também engloba bate-papos e palestras.

A ciclista e voluntária do projeto, Tássia Furtado, de 35 anos, afirma que mulheres acima dos 50 anos de idade são a maioria entre os interessados que procuram a ONG para aprenderem a andar de bicicleta.

Os motivos do interesse pela bike por parte dos adultos são diversos, desde traumas na infância até o fato de não ter tido uma magrela quando eram pequenos.

Apesar do Bike Anjo não possuir estrutura e bicicletas para também ensinar menores de 14 anos, a entidade consegue ensinar os pais desse deles na hora de ganhar confiança sobre as duas rodas e sair pedalando por aí.

Fonte: Portal Gaúcha ZH

*Foto: Divulgação / Tadeu Vilani – Agência RBS