Gestor do Parque Municipal da Prainha: surfistas pedem sua permanência

Entre os surfistas que pedem a permanência do gestor do Parque Municipal da Prainha está o ator Paulinho Vilhena

Após sete anos como gestor do Parque Natural Municipal da Prainha, Abílio Fernandes foi exonerado do cargo dia 1º de janeiro. Mas o fato gerou comoção entre os surfistas e frequentadores do parque. Sendo assim, um abaixo-assinado na internet pede a revogação da medida e a permanência de Fernandes. Entre os nomes que assinaram o documento, estão: o ator Paulinho Vilhena, os surfistas e empresários Carlos Burle e Rico de Souza, e o cantor Diogo Nogueira. Todos eles gravaram vídeos a favor do antigo gestor, postados em redes sociais.

Gestor do Parque Municipal da Prainha

Com toda essa mobilização nas redes sociais, o antigo gestor do Parque Municipal da Prainha chegou a se emocionar e garante que vai lutar pelo cargo. Em entrevista ao jornal O GLOBO, ele afirma:

“Moro no Recreio há 40 anos, e a questão ambiental me toca. Não é pelo cargo ou pelo salário, mas é porque gosto do que faço. Fui responsável pelo replantio da restinga nas praias do Pontal, da Macumba, do Recreio e da Barra e pelo ordenamento dos espaços da orla, entre outras ações. Meu mundo caiu com essa notícia, mas me sinto muito grato por meu trabalho ter sido reconhecido. Chorei ao assistir os vídeos.”

Ele acredita que tal mobilização na internet se deve ao fato dele ter construído um bom relacionamento com todos, impactando positivamente no cotidiano de todos eles.

Abaixo-assinado

O abaixo-assinado foi criado na última quarta-feira (27) e já reunia 550 assinaturas no dia seguinte. O idealizador da mobilização, Maurício Leonardo Pereira, destaca o ativismo de Fernandes e afirma que ele sempre esteve presente para ajudar a resolver os problemas da região.

Portanto, agora, o objetivo de Pereira é chamar a atenção do atual secretário de Meio Ambiente, Eduardo Cavalieri, e entregar o documento à prefeitura.

“O Abílio sempre resolveu os problemas da região, acabou com festas clandestinas que degradavam a região, e no dia 31 estava na Prainha fiscalizando tudo. Ele é honesto e trabalha na linha de frente, além de ter carinho e amor pela região. Ele nasceu para esse cargo e queremos que a prefeitura saiba que ele faz um bom trabalho e que precisamos de alguém capacitado como ele. Inicialmente, pedimos para amigos gravarem vídeos de 20 segundos para termos um material de um minuto, mas já temos mais de 50 gravações.”

Secretaria municipal do Meio Ambiente

Ao ser procurada pelo mesmo periódico, a Secretaria municipal do Meio Ambiente enviou uma nota em que afirma que “o ex-gestor do Parque Natural Municipal da Prainha não é servidor efetivo dos quadros da Prefeitura do Rio, e foi exonerado, em 1º de janeiro, junto aos outros comissionados lotados na Casa Civil — todos cargos de livre nomeação e exoneração. Ele havia sido nomeado gestor da unidade de conservação em 19 de junho de 2017, por indicação da gestão passada”.

Segundo a pasta, o novo gestor do Parque da Prainha ainda não foi escolhido.

*Foto: Divulgação/ Hudson Pontes